Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 28/12/2017

 
CRNICA DO DIA
Tamanho do texto: A A A A
CRNICA DO DIA
28/12/2017

Compartilhar:



 Magi$$$tarado$$$

Caro leitor, aqui estou novamente, para alegria de muitos e tristeza de uns gatos pingados. O título é esse mesmo, todavia, uma vez mais, quero deixar bem claro, conforme já escrevi nesse espaço, que minha crítica nada tem a ver com pessoas, absolutamente nada contra quem quer que seja!! O.k.? Tenho grandes amigos no Judiciário e no Ministério Público, podem acreditar! Repito: minha irritação se dá no âmbito institucional.

Precisamos de reformas urgentes, urgentíssimas, o país não pode ficar à mercê do atraso, do clientelismo, do corporativismo, na proteção de determinadas classes e em detrimento de uma grande massa que passa por grandes dificuldades. Temos que entender que o Brasil é pobre, uma nação em desenvolvimento, necessitando de planejamentos em vários segmentos, pensar no futuro e nas próximas gerações. Esquecer essa politicagem de quinta categoria, práticas danosas ao erário, os tempos são outros; quem não planejar seu futuro, e bem planejado, vai sofrer consequências terríveis em curto espaço de tempo. Não quero pregar o pânico, o pessimismo, o quanto pior melhor. Não é isso, vamos pensar no coletivo.

Recentemente, o jornal O Estado de S. Paulo publicou uma matéria sobre as condições dos nossos magistrados pelo país afora. Pois bem, o número de juízes é de 16.000. Todavia, os Tribunais estaduais pagam algo em torno de cinco mil reais em penduricalhos, ante 2,3 mil pagos no STJ e STM. Vale dizer, pasmem, caros leitores, que os números repassados, conforme publicado, não condizem com a realidade. O nosso TST (Tribunal Superior do Trabalho), o grande arauto da Justiça Trabalhista, essa jabuticaba que só existe no Brasil, não informou dados de forma precisa. O estado da Bahia, conforme publicado, certa feita, de forma veemente, recusou informação de dados dos proventos de suas excelências. E não informou mesmo, e ficou sem acontecer nada, absolutamente nada. Olhe a desculpa que o TST, novamente, o grande arauto da justiça trabalhista, informou: “Que, quando as planilhas chegaram, os contracheque$ eram referentes ao 13º salário e que auxílios e vencimentos de dezembro ainda serão enviados ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), órgão fiscalizador, a polícia do Judiciário”. Percebe que desculpa mais esfarrapada?! Isto é que deixa a sociedade perplexa, indefesa e desconfiada das facilidades e bene$$e$ concedidas. Uma tara excessiva na busca de privilégio$.

Por que toda essa delicadeza e receio para tratar da transparência de vencimentos de juíze$ e promotore$? Qual a razão desse comportamento? Veja o caso dos servidores mineiros: quando você entra no site para verificar a farra existente, as planilhas apresentadas têm, no mínimo, umas seis colunas para chegar no resultado final. Confesso, ainda, sob a minha ótica, que os lançamento$ apontados são de maneira muita confusa e não exprimem a realidade. Os tempos são outros. A nação carece de reformas e debates sobre muitas mazelas existentes! Sou totalmente favorável à reforma da Previdência, inclusive para acabar de uma vez por todas com todas essas benesses oferecidas. São generosidades insuportáveis no lombo do povo brasileiro. O povo é quem paga essa conta, repito: uma tara obse$$iva, insensata, tresloucada, na busca de vantagens!

Quero deixar bem clara uma mensagem do jornalista Rolf Rutz: “Os Poderes são três, mas o tesouro é um só!”. Traduzindo, cara-pálida, só existe um cofre; não existe almoço grátis! Alguém tem que pagar a conta! Que está pagando? Nós, o povo, os carregadores do piano da festa desse grande cabaré! Ops: com a devida vênia excelências, nada pessoal; nada de beicinho nos corredores forense$$$$!!!







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018