Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 20/10/2017

 
CRNICA DO DIA
Tamanho do texto: A A A A
CRNICA DO DIA
20/10/2017

Compartilhar:



 Lanchonete no cemitério

Poucas vezes vi na vida analogia tão própria e pertinente para o “post mortem” quanto a que me apresentou o conhecido uberabense Sidney Pires, cidadão presente no cotidiano da cidade. É frequentador assíduo do nosso Mercado Municipal, tem assunto para tudo e sabe muito de muitos uberabenses.
Pontua Sidney: “Da vida nada levarei a não ser o resultado das coisas que fiz. O resto fica aqui e ninguém é capaz de fazer o contrário. Minha mãe, Francisca Pires, nascida em 18/10/1925 e falecida em 08/09/2005, já está cuidando da nossa lanchonete instalada no subsolo do Cemitério Candongas, na Quadra R, número 178”. Não é difícil entender que a lanchonete é uma sepultura e o subsolo, a terra bruta.

Realmente, da vida nada se leva, tanto que caixão não tem gavetas e, se tivesse, adiantaria enchê-las? A “lanchonete do Candongas”, de Sidney, não tem sucos e guloseimas e, se tivesse, a quem serviria? Por que então não a nomear de outra coisa, digamos, porão. É que, segundo ele, lanchonete sugere lugar alegre, aonde se vai para comer e espairecer.

Interessante é lembrar que, até o último instante da vida, costumamos vislumbrar um espaço amplo onde iremos morar depois da morte. Não perdemos a mania de grandeza aqui, esquecidos de que ocuparemos só alguns centímetros além das dimensões que possuímos. Ou seja, imaginamos um megabar, quando o que nos espera é uma pequena lanchonete, segundo Sidney Pires. No cemitério não há melhor e nem pior. Ali nos igualamos.

João Eurípedes Sabino
Engenheiro, escritor, fundador do Fórum Permanente dos Articulistas de Uberaba e Região e membro da Academia de Letras do Triângulo Mineiro







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018