Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 06/01/2018

 
CRNICA DO DIA
Tamanho do texto: A A A A
CRNICA DO DIA
06/01/2018

Compartilhar:



 Teima, mas não aposta


O pai reiteradamente criticava seu próprio pai por ter perdido fortuna em apostas, carteado e nos jogos da política. Realçava sempre a lição do bisavô: "Teima, mas não aposta!". Certo dia, porém, numa calma tarde de domingo, sua afilhada chamou à porta no intuito de vender uma rifa escolar que correria pela Loteria Federal.

O pai, sem querer quebrar a coerência de suas lições, mas também sem querer desapontar a afilhada, que vendia a rifa para a formatura, chamou os filhos de nove e dez anos que estavam por ali, pegou o valor até significativo da rifa, e deu em dinheiro para cada um. Então dirigiu-se à moça e disse para ofertar a eles. E a eles disse que compraria quem quisesse.

A rifa era de um prêmio cobiçado. Um deles comprou um bilhete. O outro negou-se a comprar, com quem a moça ficou visivelmente magoada. Passado algum tempo, ela retornou como antes, com um ar irônico, para revelar que o ganhador foi o irmão que adquiriu a rifa, cujo prêmio entregou na hora. Então, voltou-se para o outro, em tom de provocação, para dizer: "Viu, não comprou, seu irmão ganhou, bem feito".

Este menino, na sua inocente perspicácia, teve a presença de espírito de perguntá-la quantos prêmios havia. Ela respondeu que era um. Então ele, batendo a mão no bolsinho da bermuda, retrucou: "O meu dindim ficou aqui!". Logo saiu correndo para o quintal, não sem antes gritar para ela: "Teima, mas não aposta, já dizia o vovô!", repetindo a lição do pai. E por isso sorria, sentindo-se também premiado.

(*) Juiz de Direito







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2019