Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 17/02/2018

 
CRÔNICA DO DIA
Tamanho do texto: A A A A
CRNICA DO DIA
17/02/2018

Compartilhar:



 Começamos mais um tempo de Quaresma, de retomada dos princípios do amor, da solidariedade e do encontro com Jesus Cristo no caminho da cruz. É uma via de sacrifício e violência, culminando com a morte. É a mesma proposta de reflexão da Campanha da Fraternidade, com o tema: “Fraternidade e superação da violência”, fundamentado na base bíblica: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

A cultura da violência provoca instabilidade, desconfiança e medo. Mas precisamos construir a cultura da paz, da confiança, “arrumando” nossa vida interior, porque a paz verdadeira tem que começar no coração de cada pessoa. É o sentido da mudança de vida, ou conversão, própria da Quaresma, fazendo um encontro pessoal com Jesus Cristo, que é fonte e sustentação da esperança.

O mal não pode ser o “carro-chefe” dominando a sociedade. Mas é necessário superar a prática da corrupção e da impunidade dos últimos tempos, que têm privilegiado magnatas extremamente irresponsáveis e desumanos. A sociedade brasileira está, cada vez mais, corroída e prestes a ser submergida, como num dilúvio, se não forem tomadas providências sérias enquanto é tempo.

O país não vai conseguir superar o drama da violência sem mudanças radicais na sua estrutura administrativa. É fundamental trabalhar a transparência dos órgãos de ação. Os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário são os “carros-chefes” e todos devem estar munidos de responsabilidade no lidar com a coisa pública. São os Poderes que constituem a governança da nação.

Pela mídia, a vida tem sido muito marcada por notícias ruins e negativas. É hora de construir a boa-nova do Reino de Deus, Reino de vida. Para isso, necessitamos da vitória do bem sobre as forças do mal, porque ele provoca a morte sem piedade. Significa transformar a cultura da violência destruidora numa prática de fé, de amor e de esperança. Assim a vida passa a ter sentido e ser saudável.

Para muitas pessoas, que agem com irresponsabilidade, a festa de carnaval se transforma em expressão de violência, de pesadelo, de consumo de drogas, de prisões e de assassinatos. O que deveria ser motivo de muita alegria torna-se sofrimento. Esse não é o espírito e nem o projeto da Quaresma, tempo de conversão e de reconhecimento dos valores que fazem parte da vida humana.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba

 







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018