Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 13/01/2018

 
SOBRE RODAS
Tamanho do texto: A A A A
SOBRE RODAS
13/01/2018

Compartilhar:



É época de férias e, desta vez, tudo está sendo preparado para levar o cãozinho de estimação para a praia. Pela primeira vez, o animalzinho vai fazer uma viagem mais longa porque a família não conseguiu ninguém para ficar com ele, mas afinal, ele é um membro da família e não merece ficar para trás. Está provado que a população do Brasil adora um cachorro, e para isso ficar bem claro, a revista Veja publicou, no ano passado, uma pesquisa do IBGE revelando que o País tem hoje mais cachorros do que crianças – 52,2 milhões de cães contra 44,9 milhões de crianças entre 1 e 14 anos. De acordo com o instituto, 44,3% dos domicílios brasileiros têm pelo menos um cachorro na atualidade. O Sobre Rodas ouviu a médica veterinária Simone Troncoso sobre o que se deve fazer antes de pegar uma estrada com seu cãozinho e os cuidados durante o passeio.

 

Dra. Simone Troncoso explica ainda que é preciso verificar se todas as vacinas do cãozinho estão em dia. “Para o litoral é importante que se tenha precaução contra a dirofilariose (verme do coração). Se o destino for fazenda ou campo, o cuidado deve ser para evitar pulgas e carrapatos” 

 



 

 

 

 

 

 

Sobre Rodas - Quais os cuidados devemos tomar ao levar um cãozinho em viagem pela primeira vez?
Simone Troncoso - Para evitar uma viagem turbulenta, antes de qualquer coisa é preciso que acostume o animal a andar de carro. Primeiramente, apenas faça com que entre e saia do veículo, como se fosse uma brincadeira, e dê a ele uma recompensa sempre que estiver dentro. Depois leve o cãozinho para passear de carro. Percorra distâncias curtas e depois vá aumentando o percurso. Passeie sempre em locais agradáveis, para que ele associe que andar de carro o levará a algum lugar divertido.

SR - Muitas vezes o animal enjoa, mesmo os mais acostumados. Como proceder neste caso? O vento na cara ajuda?
Simone - O enjoo é uma sensação extremamente desagradável que cria uma associação negativa. Para isso, evite que seu cão viaje com o estômago cheio. Você pode, ainda, evitar os enjoos dirigindo de forma ponderada. Acelere e breque suavemente. Se necessário, peça ao veterinário algum remédio para evitar o enjoo. Aquele ventinho na cara e a cabeça pra fora da janela podem despertar a atenção simpática de pedestres e motoristas. No entanto, mesmo parecendo um ato inofensivo, esconde risco à vida do animal e até do próprio motorista.

SR - E quanto à alimentação antes de viajar?
Simone – Não aconselho dar água ou comida ao animal três horas antes de viajar com ele. E durante a viagem deve-se oferecer apenas em pequenas quantidades.
SR - E quanto às paradas, de quanto em quanto tempo devem ser feitas?
Simone - Durante a viagem é necessário que o animal se alimente com frutas ou alimentos leves e beba água para se manter hidratado. Por isso, é importante que ele saia um pouco durante as paradas para fazer suas necessidades fisiológicas e se exercitar. A parada deve ser feita a cada duas ou três horas e esta deve ser feita em locais seguros e apropriados. Prefira parar em postos de gasolina ou postos rodoviários. Evite parar no acostamento porque o movimento dos carros pode assustar seu cão.

SR - Um veterinário pode ajudar aplicando algum remédio no animal para acalmá-lo? É correto fazer isso?
Simone - O médico veterinário irá avaliar a situação e verificar a necessidade ou não de uso de medicamentos. Há alguns casos de animais agitados e/ou nervosos, ou também em longas viagens que a aplicação de um sedativo pode ser necessária.

SR - É bom sempre levar uma guia?
Simone - Não apenas uma guia. Seu cão merece uma bagagem. A bagagem do cão deve ser composta por itens básicos, como: guia e coleira, ração em quantidade suficiente até o final da viagem, potes para água e comida, toalha, brinquedos e caminha. E, claro, farmácia básica recomendada pelo veterinário em casos de emergências.

SR - É necessário levá-lo em gaiola?
Simone - A caixa de transporte é o método mais seguro para transportar seu animalzinho, você poderá encontrá-la em pet shops e em sites de compras. Os preços variam de acordo com a marca e o tamanho, escolha uma adequada ao seu animal para que ele fique confortável durante a viagem. O cinto de segurança para cães permite que o animal fique preso ao banco traseiro e não distraia o motorista.

SR - Também não devemos levar os bichinhos nos bancos da frente?
Simone - De acordo com o Código de Trânsito é vetado o transporte de animais entre as pernas e braços ou do lado esquerdo do motorista, nem mesmo naquela ida rápida até a pracinha. Pode acarretar em infração média e multa. Os animais soltos no carro acabam tirando a concentração não só dos passageiros, mas também do condutor.

SR - E os grandes cães, por que não devemos levá-los na carroceria?
Simone - Transportar animais na cidade ou a passeio em viagens, na parte externa de qualquer veículo, também é contra o Código de Trânsito Brasileiro. Pode acarretar em infração grave e multa. Além disso, corre-se o risco de o animal se jogar do veículo em movimento, podendo se machucar seriamente ou vir a óbito.
 

 







San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018