Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     
Voc� est� visitando a Edi��o do dia 14/01/2018

 
SAÚDE
Tamanho do texto: A A A A
SADE
14/01/2018

Compartilhar:



 Foto Jairo Chagas

Patrícia Naves Resende esclarece que os sintomas podem ser confundidos com sinais de envelhecimento

O avanço da medicina, a descoberta de novos tratamentos e melhores hábitos de vida são alguns dos motivos que levam ao envelhecimento tardio, aumentando a expectativa de vida. A má notícia é que uma das implicações disso é a mudança no perfil de doenças. É o caso da fibrose pulmonar idiopática (FPI) que, segundo a pneumologista Patrícia Naves de Resende, é de causa desconhecida e gera nos pulmões um processo contínuo de agressão e reparação anormal – cicatrizes e fibrose –, com consequente “endurecimento pulmonar”.

Patrícia Naves esclarece que os sintomas da FPI podem ser confundidos com sinais de envelhecimento, o que leva à procura tardia de um pneumologista. Falta de ar, tosse seca, diagnósticos de pneumonia recorrentes e cansaço para realizar atividades cotidianas são alguns deles.


A especialista explica que a FPI está associada a elevadas taxas de mortalidade devido à piora progressiva da função respiratória e acomete pessoas acima de 50 anos. “Predisposição genética e exposição contínua a fatores agressores, como tabagismo, podem antecipar o aparecimento da doença. A partir do diagnóstico, os pacientes exibem média de sobrevida de 50% em 2,9 anos”, explica.

Para a pneumologista, a preocupação médica está em estabelecer o diagnóstico correto e precoce, já que há tratamento que pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Patrícia Naves pontua que, no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a comercialização do Nintedanibe e da Pirfenidona, depois da realização de estudos que indicaram queda em mais de 68% dos casos de crises agudas da doença após o uso desses medicamentos, além da redução da piora progressiva da função pulmonar em 50%. “No entanto, ainda não há previsão para a implementação do tratamento no SUS. O custo é elevado, sendo que o paciente precisa desembolsar cerca de R$13 mil por mês por tempo indeterminado”, completa.

 







San Marco
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Apesar de a PMU descartar surto de meningite na cidade, h aumento significativo no nmero de casos. A vacinao a forma mais eficaz de preveno. Voc est com a imunizao em dia?







JM FORUM
Aps pedidos de moradores e vereadores, o albergue municipal vai se mudar do Boa Vista para a av. Orlando R. Cunha. Na sua opinio, a mudana positiva?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018