Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 03/12/2017

 
SAÚDE
Tamanho do texto: A A A A
SADE
03/12/2017

Compartilhar:



 Foto/ Babi Magela

Para Giovanna Prata, a principal proteção é o uso frequente de protetor solar, mesmo em dias chuvosos e nublados

O mês de dezembro chegou e, com ele, a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Neste ano, o tema é “Se exponha, mas não se queime”. O câncer de pele é o mais incidente no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no País. Os dados alarmantes levaram à criação da campanha “Dezembro Laranja”, que busca conscientizar a população sobre os cuidados com a pele.

A dermatologista Giovanna Prata Ciabotti Camargos afirma que esse é o tipo de câncer mais frequente na população brasileira, mas destaca que há tratamento e as chances de cura são altas quando o diagnóstico é feito precocemente. “A principal medida de proteção é o uso frequente de protetor solar, mesmo em dias chuvosos e nublados, porque a radiação atinge a superfície da pele, sendo capaz de provocar danos e induzir o aparecimento de lesões”, explica a especialista.

Giovanna Prata salienta que os principais sinais de alerta são feridas que não cicatrizam no intervalo de um mês. “Quando isso acontece, por exemplo, uma espinha no rosto que não cicatriza ou aquela feridinha que dá uma casquinha e isso é recorrente, a orientação é procurar um especialista para avaliação”, esclarece a dermatologista.

Outro sinal de alerta, segundo Giovanna, são as pintas que sofrem alterações de cor, tamanho e formato. Diante de qualquer dúvida, a melhor opção é consultar um dermatologista, que avaliará o caso concreto e procederá ao tratamento, caso necessário. 

 







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018