Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 28/02/2018

 
FALANDO SÉRIO
Tamanho do texto: A A A A
FALANDO SRIO
28/02/2018
Wellington Cardoso Ramos - wellingtoncardoso@terra.com.br

Compartilhar:



François Ramos – Redator Interino


Absurdo
Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), o mundo tem 193 países. Neste universo, o Brasil registra sozinho o mesmo número de homicídios que 150 destas nações somadas.

Alerta
Enquanto as autoridades brincam de resolver o problema da criminalidade com uma intervenção federal de ações mais que limitadas e dirigidas ao circo midiático, apresentando um discurso de exclusão social e culpa da sociedade como justificativa para a violência crescente, registram-se mais de 55 mil homicídios anuais no Brasil.

Especialistas
Da mesma forma que opinamos sobre o que o técnico deve fazer com a Seleção Brasileira, os “experts” viajam em soluções variadas para a violência, entre elas acabar com a pobreza, investir em saúde, em educação, enfim, tudo menos o enfrentamento do imediato: o crime precisa ser contido e não se pode esperar pelos resultados da reengenharia social pleiteada.

Contrassenso
Enquanto a população não aguenta mais ser subjugada e viver com medo, instituições que deveriam zelar pelo cidadão concentram-se em monitorar, fiscalizar e coibir a atuação policial nas ruas. Basta que a PM tenha que atuar com força para conter o marginal, para inúmeros discursos incoerentes com a realidade aparecerem. Em breve vão requerer que se atire pétalas de rosas para prender traficante.

Contribuir
As instituições que integram a sociedade organizada contribuiriam muito mais se buscassem ações que legitimassem a atuação do poder de polícia em favor da coletividade, do cidadão de bem. A situação no cárcere é preocupante? Há superlotação? A comida é ruim? Sem dúvida. Mas e a situação das escolas brasileiras é diferente? Qual deve ser a prioridade de um governo?

Hipocrisia
Enquanto a situação no País só faz piorar, impera a preocupação com os “sentimentos” do marginal. Quem comete crime é criminoso certo? Aqui não, veja as entrevistas da Polícia Militar que agora é obrigada a chamá-los de cidadão infrator. E eu que sempre pensei que cidadania presumia direitos, mas também obrigações.

Pessimista
Claro que ao ler a coluna hoje muita gente vai considerar este jornalista um pessimista. Sou racional. Vejamos os números. O Brasil sozinho mata mais que Estados Unidos, Canadá, Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia, Egito, China, Mongólia, Malásia, Indonésia, Austrália, Nova Zelândia e Coreia do Sul, juntos.

Caiu a ficha?
E não para por aí, só para equilibrar o número de homicídios que ocorre anualmente no Brasil teríamos que acrescentar à lista Coreia do Norte (uma senhora ditadura), Japão, Portugal, Espanha, Reino Unido, Irlanda, França, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Alemanha, Itália e Suíça.

Tem mais!
Deu? Ainda não. Talvez se incluirmos no quadro de comparação os assassinatos verificados também na Dinamarca, Noruega, Suécia, Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia, República Tcheca, Eslováquia, Áustria, Hungria, Belarus, Ucrânia, Romênia, Moldávia, Bulgária, Eslovênia, Croácia, Bósnia-Herzegóvina, Sérvia, Montenegro, Albânia, Grécia e Macedônia, os números se aproximem do inferno no qual o Brasil se vê mergulhado.

Injusto
Alguns podem disfarçar a realidade e argumentar que são países pequenos e que uma comparação assim é injusta. Tá ok. Vamos lá de novo. Os Estados Unidos, que encabeçam a primeira parte da lista, são equiparados em dimensões e que, detalhe, não contam com as restrições do Estatuto do Desarmamento.

Injusto II
Se não bastar esse argumento, resta lembrar que a Europa toda concentra 743 milhões de pessoas enquanto o Brasil tem 208 milhões de habitantes. Mesmo assim enquanto em solo tupiniquim mais de 55 mil pessoas são assassinadas todos os anos, no continente europeu as vítimas somam 22 mil. Assim, a Europa tem 3 vezes a nossa população e registra menos da metade do número de mortes.

Coerência
Ah, mas o Brasil não se compara à Europa e aos Estados Unidos! Engraçado que quando convém o discurso é diferente ou será que as autoridades já se esqueceram dos argumentos adotados durante a “campanha” pela Reforma Trabalhista.

Triste
Entretanto, não é difícil saber como a situação da segurança, ou melhor, da ausência dela, chegou ao quadro caótico hoje verificado. Enquanto nos países desenvolvidos quando a polícia, durante ação legítima, mata um criminoso a sociedade comemora e o governo a aplaude, no Brasil o Ministério Público manda investigar e paralisa a carreira do militar enquanto a grande mídia o transforma num monstro.

Corrupção
Enquanto o Ministério Público da Coreia do Sul pede a condenação de sua ex-presidente em 30 anos por suspeita de suborno e abuso de poder entre outros crimes, no Brasil o povo coloca um corrupto condenado entre os principais candidatos à Presidência da República.

Pense
Estamos em um País no qual boa parte do povo não questiona como um ex-presidente que recebe aposentadoria de R$ 33.763,00 (teto do funcionalismo público) paga por uma defesa milionária que inclui advogados que chegam a cobrar 40 mil dólares por hora.

Chega
Para sair desse cenário de filme de terror o Brasil precisa mudar. As eleições deste ano representam o momento em que o povo rompe definitivamente com a mentalidade que nos transformou em reféns de nossos próprios lares ou entrega de vez o País para o crime organizado.

Frase
“Antes cautela que arrependimento” – (Ditado Popular)







San Marco - 20jun
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Na sua opinio, como deveriam ficar os direitos polticos de parlamentares presos?





JM FORUM
A Lei Seca completou dez anos em junho. Na sua opinio, temos o que comemorar?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018