Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 18/11/2017

 
alternativa
Tamanho do texto: A A A A
ALTERNATIVA
18/11/2017

Compartilhar:



Tudo igual
A julgar pela publicação do novo edital de leilão dos ativos da Petrobras esta semana, é de se concluir que tudo continua nos mesmos moldes de antes da reunião da comitiva uberabense com a cúpula da petroleira. O pregão foi apenas adiado para a segunda quinzena de janeiro, mas a venda dos equipamentos será fatiada tal e qual previsto no edital anterior, que foi suspenso. De duas, uma: ou estava tudo decidido e a Petrobras embromou nossas lideranças para acalmar os ânimos, ou nós nos iludimos mais uma vez com essa fábrica de amônia.

Incerteza persistente
Veja o seguinte: quem conhece Michel Temer e acompanhou as recentes artimanhas dele para se manter na Presidência da República certamente não descarta a hipótese de tudo não passar de mais uma jogada presidencial. Pode até parecer delírio, mas não deixa de ser uma hipótese: Temer pode ter instruído Pedro Parente que atendesse o prefeito Paulo Piau (seu aliado de longa data) e ganhasse tempo, para não lhe criar embaraço com o companheiro do PMDB. Parente, que já sucateou e vendeu plataformas de petróleo e navios da Petrobras em construção, ainda nos estaleiros, não teve a menor dificuldade para autorizar o adiamento do leilão dos equipamentos e materiais de uma indesejável fábrica de nitrogenado. Porém, durou pouco o alívio que sentimos com o anúncio da suspensão do leilão de novembro. Um novo edital, nos mesmos termos do anterior, já foi publicado pela Petrobras esta semana, alterando exclusivamente a data do pregão. É de se indagar: haverá tempo hábil, daqui até janeiro/2018, para viabilizar técnica e economicamente o projeto da fábrica de amônia, a ponto de atrair capital privado e evitar realmente esse leilão de ativos fatiados da Petrobras?

Alô, Papai Noel!
Tem mais: não basta que o projeto da fábrica de amônia consiga um parceiro privado a toque de caixa. Será necessário um trabalho de fôlego das nossas lideranças políticas junto ao governo Temer para editar uma Medida Provisória, concedendo incentivos fiscais que tornem o produto interno competitivo com o similar importado. É um negócio extremamente complicado para ser resolvido no curto espaço de tempo de apenas dois meses, ainda mais agora, com recesso parlamentar, Natal, Ano Novo. Para alguns, um desfecho favorável ao sonho uberabense de ter aqui essa fábrica de amônia só mesmo por meio de um milagre...

Palestra – Na quinta-feira, 16, o prefeito Paulo Piau proferiu palestra na Universidade Federal de Viçosa para alunos do curso de pós-graduação, sobre o tema “formação de políticas públicas”. Convite partiu do diretor do Instituto de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável da universidade, e Piau, como ex-aluno, fez questão de atender. Aproveitou para rever familiares.

Apelo à razão – Governo federal deve suspender por cinco anos a abertura de novos cursos de Medicina no país, para atender à reivindicação da classe médica, que está preocupada com a qualidade de ensino nas faculdades.

Preto no branco
Alvo de muita polêmica nesta semana, o Projeto de Lei da APA do Rio Uberaba continua rendendo críticas e defesas. O presidente do Codau, por exemplo, considera uma leviandade as acusações ao PL por causa do loteamento da área. Segundo ele, quem diz isso não conhece a situação do local, muito menos o projeto. Dentre outras questões, Luiz Guaritá Neto acredita que essa é a única solução para regularizar uma situação de fato antiga na região do Boa Vista, Primavera e adjacências. Ele lembra que naquela área existem construções anteriores à APA e não poderiam ser removidas dali agora, em virtude da lei nova.

Pra frente
Ainda sobre essa polêmica do PL da APA do Rio Uberaba, Luiz Guaritá Neto frisa que o maior interessado em preservar os mananciais hídricos é justamente o Codau. Revela que o Codau investiu mais de R$1 milhão em projetos técnicos, incluído estudo de manejo, para fundamentar o projeto. Além disso, a área objeto desse PL corresponde a 14% do total, restando intactos 86% da área de preservação ambiental. “Temos de olhar pra frente, enxergar Uberaba no futuro; esse projeto possibilitará triplicar a nossa população nos próximos anos, preservando o abastecimento”, reforça Guaritá.

Permeabilidade do solo
Outro detalhe para o qual Luiz Neto chama a atenção refere-se à permeabilidade do solo. Ele frisa que nessa área nova amparada pelo PL da APA do Rio Uberaba houve o cuidado de permitir apenas 50% de ocupação do solo, quando no restante da cidade esse índice é de 70%. Mas o que já está feito não tem como mudar, como no caso do Jardim Primavera, onde os terrenos têm 150 metros quadrados com praticamente 100% da área ocupada. Daqui pra frente, os próximos loteamentos terão de obedecer ao espaço padrão de 300, 420 e 600 metros quadrados, estabelecidos no PL. Oremos!

Trabalhão danado
Empresas clientes da Rodoban estão tendo um trabalhão danado, desde o dia do assalto. Muitas confiavam à empresa de valores os cheques e dinheiro recebidos de terceiros. O prejuízo com o roubo do dinheiro só o seguro poderá resolver. Mas, em relação aos cheques, as empresas estão tendo o trabalho de levantar um por um, ligar para os clientes pedindo para sustá-los e emitir novos cheques nos mesmos valores...

Escrito nas estrelas
De que adiantou a Justiça mandar para a cadeia Picciani e seus comparsas acusados de receberem propinas milionárias, se a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro revogou a prisão no dia seguinte??? Será que algum dia essa pouca vergonha terá fim no Brasil? E ainda temos coragem de comemorar consciência negra, neste país de inconscientes e inconsequentes brancos, pardos, negros...

 







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2019