Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ALTERNATIVA
Tamanho do texto: A A A A
ALTERNATIVA
19/04/2018

Compartilhar:



Até quando?
Quem pensou que a derrubada de árvores em Uberaba havia cessado, engana-se. As motosserras continuam trabalhando a todo vapor, como se viu na rua Barão da Ponte Alta, quase esquina com a João Alfredo. Por pouco as árvores vizinhas também não foram ao chão. Mais uma vez a supressão da árvore foi autorizada pela Secretaria do Meio Ambiente, que sequer cuidou de tentar salvar a árvore dita “condenada” por doença. Ora, árvore é igual gente. Se adoece, deve ser tratada, antes de condená-la à morte. Há meios para isso. O que causa espécie é a facilidade com que a Semam emite laudos favoráveis à supressão, sob a alegação de “doença” das árvores, sem tentar qualquer alternativa que seja. Aqueles que deveriam ser os guardiões do meio ambiente estão se mostrando seus maiores algozes em Uberaba.

Exército da salvação
Na época em que era prefeito Luiz Guaritá Neto, as paineiras centenárias do Parque das Barrigudas estiveram na mira das motosserras, ao argumento de estar “condenadas”. Um laudo da Secretaria do Meio Ambiente indicou o “tratamento” adequado e o prefeito autorizou a tentativa. Hoje o Parque das Barrigudas encanta a todos os que passam pela Univerdecidade e veem as paineiras floridas. Um verdadeiro espetáculo da natureza. É esse exemplo de preservação e cuidado com o nosso meio ambiente que devemos seguir.

Mapa verde
Assim como a Secretaria de Agricultura está mapeando as estradas rurais, a Secretaria de Meio Ambiente deveria fazer um mapa das áreas verdes ainda existentes no perímetro urbano para seu controle. E encabeçar uma campanha de conscientização popular sobre a necessidade de proteger as árvores e conservá-las, como forma de brecar os milhares de pedidos que hoje se amontoam na Prefeitura para corte de árvores. Além disso, treinar o pessoal para a poda correta das espécies já existentes, de modo a evitar que as pessoas peçam a derrubada das árvores simplesmente porque as folhas estão entupindo as calhas das casas.

Sete-copas 

Na rua Teixeira de Freitas com Andradas, moradora quer derrubar as espécies sete-copas antigas daquele charmoso local. Mas é possível evitar a ação radical apenas com a poda correta das sete-copas. Segundo técnicos, essa é uma “espécie decídua, cujas folhas caem no outono, época em que uma lagarta de cerdas urtigantes pode provocar queimaduras na pele. Nessa época é aconselhável a poda de renovação”. Poucos meses depois a árvore se renova e volta a ter folhas verdes e saudáveis. É tudo uma questão de saber e querer tratar o meio ambiente de forma adequada.

Compensação

A Prefeitura vive exigindo compensação de empreendedores que investem no município ou recebem área pública em comodato ou doação. Deveria exigir do cidadão o plantio de pelo menos 100 mudas para cada árvore antiga que derrubasse na cidade, tudo comprovado com nota fiscal de compra das mudas e fotos do local do plantio, antes e depois. E obrigar o cidadão a cuidar das árvores plantadas por no mínimo dois anos.

Tudo pelo poder
Ponto para a Polícia Civil, que concluiu ontem as investigações sobre o covarde atentado sofrido pelo então candidato a prefeito de Campo Florido, Renato Soares, em junho do ano passado. Renatinho é cadeirante e foi alvejado por quatro tiros, ficando entre a vida e a morte. Mesmo hospitalizado, ele foi eleito prefeito de Campo Florido. Na manhã dessa quarta-feira, a Polícia Civil prendeu temporariamente um ex-prefeito daquele município (Ronaldo Bernardes), um ex-vice-prefeito (Otalibinha), uma vereadora e seu marido, sob a acusação de participação na tentativa de homicídio de Renatinho. Todos eles eram adversários políticos da vítima e são acusados de ter encomendado o crime. Vejam a que ponto chega a cegueira causada pelo poder e pela política.

Noite de festa
Lançamento da ExpoCigra 2018 terá clima de festa hoje à noite, no auditório da Fiemg. Palestra do vice-presidente de Operações do Grupo Algar, Divino Sebastião Souza, sobre “Ascensão de um Talento e Gestão de Pessoas”, será um dos pontos altos do evento pilotado pelo presidente Gleison Borges. A propósito, Gleison abriu seu coração e contou sua trajetória pessoal vitoriosa à jornalista Indiara Ferreira para a JM Magazine 60. Imperdível!

Na agenda
As eleições deste ano vão mudar a data da ExpoCigra para o período de 7 a 10 de novembro, no Pavilhão Multiuso do Parque Fernando Costa. O tema da 6ª edição da feira será “A integração é o movimento para o resultado”.

Uberaba em todas

Teve passagem por Uberaba, atuando na Fosfertil na década de 1980, o engenheiro químico Marcelo Kós, que hoje integra a Opaq, uma instituição dedicada a tentar erradicar o uso de armas químicas no mundo e que ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2013. Sob o comando de Marcelo Kós, uma equipe de cientistas da Opaq desembarcou sexta-feira na Síria para investigar se de fato houve um ataque com armas químicas e que tipo de arma teria sido usada. Detalhe: Marcelo Kós é casado com ex-aluna do Colégio Nossa Senhora das Dores e a família mora atualmente em Haia, na Holanda.


Esse é Marcelo Kós, ex-funcionário da Fosfertil que hoje comanda a Força-Tarefa da Opaq na Síria
 







SAN MARCO JEEP COMPASS SPORT
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
A poucos dias do fim do prazo, poucos uberabenses j realizaram a declarao do Imposto de Renda. Qual a sua situao?






JM FORUM
Qual a sua opinio sobre a liberao da discusso sobre ideologia de gnero nas escolas de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018