Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 15/11/2015

 
ENTREVISTA
Tamanho do texto: A A A A
ENTREVISTA
15/11/2015

Compartilhar:


OUTRAS COLUNAS



Chefe de gabinete da Prefeitura de Uberaba e presidente local do PMDB, o odontólogo, professor e pesquisador da Universidade de Uberaba (Uniube), Fernando Hueb de Menezes, não acredita que o descontentamento da população com a política e os políticos seja um entrave para a tentativa do prefeito Paulo Piau de se reeleger. “Ele tem as duas qualidades que o eleitorado está exigindo: trabalho e integridade”, afirma Hueb em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã. Segundo ele, apesar da crise econômica por que passa o Brasil, o atual governo municipal de Uberaba tem feito conquistas importantes. Se as eleições fossem hoje, Hueb acredita que o prefeito já teria muito o que apresentar, lembrando que são menos de três anos de governo. Confira a íntegra da entrevista! 

Jornal da Manhã – O senhor preside o PMDB de Uberaba, partido que abriga a filiação do prefeito Paulo Piau e que, portanto, terá a responsabilidade de coordenar a campanha pela reeleição. O PMDB está preparado?
Fernando Hueb de Menezes –
A política é dinâmica, seja nas relações entre os participantes dela, seja em função de mudanças na legislação. Por isso não vou dizer que o PMDB de Uberaba está 100% preparado. Prefiro dizer que estamos nos preparando, verificando o terreno, conversando muito, observando mais ainda, e nos adaptando para as mudanças. Mas, é absolutamente certo que vamos dar conta do recado. 

JM – Quando o senhor fala em mudanças, está se referindo à reforma política?
Hueb –
Também isto. Na verdade, eu não diria reforma, mas sim minirreforma. Reconheço que o Congresso Nacional teve boa vontade e respeito às decisões dos parlamentares. Mas a população esperava uma reforma mais profunda. Mesmo assim, existem mudanças e temos que nos adaptar. Além disso, o Tribunal Superior Eleitoral, com certeza, vai baixar suas próprias normas.  

JM – Com base no acirramento ocorrido nas eleições gerais de 2014, ninguém tem dúvida de que as eleições municipais de 2016 seguirão o mesmo caminho, inclusive e, principalmente, no que se refere à movimentação nas redes sociais. Qual sua expectativa quanto a esta situação?
Hueb –
Fiquei assustado com muita coisa que vi na campanha de 2014. Muita gente extrapolou. Mas, não tenho a arrogância de achar que vamos controlar a situação. Vou defender, junto ao PMDB e a nossos parceiros, aquilo que aprendi dentro de casa, que é agir com ética, respeitando as diferenças e os adversários, para que façamos uma campanha de alto nível e que divulguemos nossos candidatos na base das ideias e das propostas de trabalho. Mas também ficaremos atentos e não vamos aceitar ataques gratuitos, denúncias e acusações infundadas. Para isso existem os canais competentes, que são o Ministério Público e Justiça Eleitoral. 

JM - A população brasileira está descontente com os políticos e os partidos de um modo geral. O senhor não teme que esta rejeição influencie na campanha do prefeito Paulo Piau?
Hueb –
A população tem razão de estar descontente. Estamos enfrentando uma crise ética profunda. Mas a mesma população tem o poder do voto nas mãos e pode fazer suas escolhas. É preciso separar o joio do trigo, votar nas pessoas de bem e nos bons projetos. É preciso optar por quem trabalha e, ao mesmo tempo, que seja íntegro. O prefeito Paulo Piau possui estas duas grandes qualidades. 

JM – Como convencer a população?
Hueb –
Da maneira mais simples e óbvia que se tem para fazer isso: mostrando trabalho e agindo com transparência. E é isso que o prefeito Paulo Piau está fazendo desde o primeiro dia de sua gestão. Vale lembrar, inclusive, que, ao assumir a Prefeitura de Uberaba, ele já trazia na bagagem muito trabalho, honestidade e ética – marcas registradas de seus mandatos de deputado. Marcas estas que ele introduziu na administração municipal. Mais do que ninguém, sou testemunha disso. 

JM – Como o senhor avalia as críticas dos adversários ao governo Paulo Piau?
Hueb –
Considero que estão no direito de criticar e combater o nosso governo. Cabe ao governo responder com trabalho e resultados. E é isso que estamos fazendo. Importante considerar que os oposicionistas tentam desqualificar o governo do prefeito Paulo Piau comparando com gestões anteriores. Entretanto, esse governo tem apenas dois anos e dez meses de trabalho contra oito anos dos outros governos. Se quiserem comparar, que façam de forma justa. 

JM – Se as eleições fossem hoje, o que o senhor destacaria de trabalho?
Hueb –
Em que pese a crise econômica por que passa o Brasil, Uberaba tem conseguido conquistas importantes, e isso graças ao trabalho do atual governo municipal. Esta semana [que passou], por exemplo, a Chefia de Gabinete acertou uma agenda extensa para o prefeito cumprir até o fim do ano. Envolve desde inauguração de academias ao ar livre e de obras até a liberação de novas obras, principalmente de reformas e ampliações, quebrando vários tabus. Estamos entregando a 9ª escola em menos de três anos, além de reformas e construções ainda em andamento. Novas unidades de saúde já foram entregues e outras estão sendo construídas. Esse governo está realizando o maior projeto de habitação já visto na cidade, com mais de 10.000 casas sendo construídas, com centenas já entregues. Os planos de carreira dos servidores municipais e da Educação se tornaram realidade. A administração tem passado por uma reorganização profunda, de forma a desburocratizar e melhorar o atendimento à população. A cidade fechou o mês de setembro na liderança do ranking dos municípios mineiros que mais empregaram – resultado das ações promovidas pelo governo Paulo Piau, seja no incentivo aos empresários locais, seja na atração de empresas de fora. É muito trabalho para mostrar, e, mais uma vez repito, em dois anos e dez meses. 

JM – Além de presidir o PMDB, o senhor tem outra função estratégica, que é o comando da Chefia de Gabinete. O que é mais complicado: administrar a agenda ou administrar o humor do prefeito?
Hueb –
O prefeito costuma complicar a agenda, sim, mas não porque seja mal-humorado. O problema é que ele faz questão de atender a todo mundo. E todo mundo quer falar com ele, pois sabe de sua humildade e da atenção que ele dispensa a quem o procura – dos mais humildes aos mais abastados. Entretanto, tudo acaba contornado. Conto para isso com uma equipe eficiente: assessores, secretárias, cerimonial... Todos se esforçam para cuidar de suas responsabilidades com competência e agilidade. 

JM – O que mais marcou o senhor até agora como chefe de gabinete do prefeito?
Hueb -
Me marcou muito vê-lo trabalhando no gabinete, em plena manhã do domingo de Páscoa. Ele é um trabalhador incansável. Não tem hora, não tem fim de semana, não tem feriado...  

JM – O senhor tem pouca experiência na política. Isso não será um fator negativo na condução da campanha pela reeleição?
Hueb –
É verdade que tenho pouca experiência direta e prática na política partidária. Mas entendo que hoje, para exercermos a política na sua essência, temos que carregar conosco bons princípios, e, nesse sentido, não tenho dúvida que tive os melhores “professores” e me sinto privilegiado. Afinal, sou filho de um político sem qualquer mácula que seja na sua trajetória. Meu pai, o saudoso vereador Murilo Pacheco, é sempre lembrado como exemplo de integridade. Ao lado dele e, portanto, participando da formação do meu caráter, esteve sempre minha mãe, Terezinha Hueb de Menezes, esposa, educadora, empresária, mulher guerreira e com uma sensibilidade invejável. E fui levado para a prática política através das mãos de outro grande personagem: o prefeito Paulo Piau, um homem de família e um político de vida limpa. Agradeço a Deus por ter me permitido obter estes aprendizados.







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018