Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 22/01/2018

 
ESPECIAL
Tamanho do texto: A A A A
ESPECIAL
22/01/2018

Compartilhar:


OUTRAS COLUNAS



 

Amigos para sempre

A cada dia os animais de estimação ganham mais espaço nas casas e na vida das pessoas. São companheiros fiéis, parceiros na alegria e na tristeza... verdadeiros “amigos para sempre”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como escolher seu melhor amigo?

Se você está procurando um amigo de verdade, um cãozinho para ser seu companheiro de todas as horas, analise as características do animal antes de escolher a raça. 

É preciso ter em mente as necessidades do animal, tanto pelo espaço quanto pelos cuidados com a pele e os dentes. Se você tem uma casa com quintal grande, nada o impede de ter um cachorro de porte médio (como basset hound, buldog inglês, cocker spaniel, bull terrier) ou de grande porte (dálmata, labrador, golden retriever, pointer, pastor alemão e weimaraner, por exemplo). Mas, se mora em casa menor ou apartamento, o ideal é ter cachorrinho de pequeno porte. A empresária Marina Junqueira Caetano sempre teve animais de estimação e, hoje, possui um canil, onde cria seis raças distintas. Conheça as características de algumas raças:

   
 SHIH-TZU
Dócil, brincalhão, independente e fácil de se adaptar ao ambiente. Late pouco, por isso é uma raça muito recomendada para quem mora em apartamento. Apesar de ser um cão de personalidade forte e que facilmente domina seus donos, é entre os cães de companhia um dos que mais são afeitos a horas de colo e à interação com as pessoas 
da família.
SCHANAUZER
É extremamente protetor e ciumento com seus donos, mas está entre os 12 cães mais inteligentes do mundo. Brincalhão e ativo, é um ótimo companheiro e verdadeiro cão de guarda, podendo até ser agressivo com desconhecidos ou qualquer um que ofereça perigo ao seu proprietário.

 

   
 MALTÊS
É um cachorrinho que se adapta facilmente ao estilo de vida de seus donos. Atento ao que acontece à sua volta, o maltês não gosta de ficar sozinho. Adora um colo e chamego. Mas ele também tem um lado selvagem e ama correr e brincar. Apesar do seu ar inocente, ele é corajoso e pode desafiar cães maiores. É um pouco reservado com estranhos. Alguns latem muito.
 PINSCHER
Muito valente e de personalidade forte, inteligente, ativo, tem muita vitalidade, energia e apego ao seu dono. Não é recomendável para crianças, pois, se estas o machucam, ele pode querer uma revanche. Embora seja pequeno, é um excelente cão de guarda e tem fortes instintos de defesa pelo território e por seu dono.
 

 

   
 SPITZ ALEMÃO
Este cão simpático e brincalhão costuma cativar todos à sua volta. Bastante ativo e facilmente sociável, o spitz alemão tem latidos altos, que podem ajudar a prevenir situações de perigo, alertando seus proprietários. A lulu-da-
pomerânia, versão miniatura do spitz, popularizou-se devido à Rainha Vitória, da Inglaterra, que a tinha como raça de companhia.
 PUG
A personalidade dos pugs é das mais sociáveis e amáveis. Eles gostam da vida em família, têm tendência a se apegarem muito ao dono e apreciam até mesmo as brincadeiras das crianças. Ótimos cães de guarda, são bastante destemidos e só latem mesmo em situações bem específicas, para comunicar algo, avisar de algum perigo. Os pugs se dão muito bem com a vida entre quatro paredes. No entanto, não deixe um pug sozinho por tempo demais. Ele é muito sensível.

 

 

   
 YORKSHIRE
Inteligente e confiante, ele ama estar com o dono, mas não é muito sociável com outros cães. O yorkshire terrier adora uma aventura e uma encrenca. Tem a personalidade forte, é teimoso e pode ser agressivo com cães estranhos. Alguns tendem a latir muito. Enquanto o yorkie maduro é bem mais calmo, o filhote e o adolescente que não forem ocupados com bastante brincadeira, treinamento e trabalho vão acabar mastigando tudo, latindo, cavando e encontrando formas de se manterem entretidos.
   
 

 

 

Animal de estimação requer cuidados
especiais no verão

Mais do que um animalzinho de estimação, ele é um “membro da família”; às vezes, o “rei” da casa. Porém, assim como a chegada das estações mais quentes do ano altera a rotina das pessoas, os bichinhos sofrem com as altas temperaturas. Cães e gatos, os preferidos entre as famílias brasileiras, também necessitam de cuidados especiais para manter em dia a disposição, a higiene e a saúde nesta época do ano. 

O primeiro cuidado deve ser com a alimentação, que precisa ser mais leve. Os animais sentem tanto ou até mais calor que os seres humanos. Em casa ou durante viagens, cães, gatos e outros bichinhos devem ter água à vontade, comida fresca e espaços para se abrigarem do sol. Além disso, antes de levar seu pet para o passeio em parques, praia, ou pracinhas, onde terão contato também com outras pessoas ou animais, é preciso se certificar que as vacinas contra a raiva e a vermifugação estão em dia. Especialistas recomendam que as pessoas evitem passear com seus pets entre as dez horas da manhã e as cinco da tarde, horário de sol mais intenso e prejudicial à saúde do animal e do próprio dono. Por último, é preciso redobrar os cuidados com a higiene de cães e gatos, incluindo a utilização de xampus antipulgas, e manter os pelos tosados. 

Da chegada à partida

Quando o filhote chega, todo faceiro, abanando o rabinho, logo cativa sua nova família. Torna-se o “queridinho da casa”. Suas traquinagens são vistas com parcimônia. Roer pé de mesa, arrancar a roupa do varal, deixar as marcas de seus dentinhos no chinelo... tudo é relevado pelo dono. Até o xixi fora do lugar, na maioria das vezes, é perdoado. Mas o tempo passa e seu fiel amigo começa a envelhecer... A idade vai chegando e os cuidados devem ser cada vez maiores! 

Pesquisas científicas revelam que quanto menor o cão, maior a expectativa de vida. Isto porque em cães de porte grande e gigante, o processo de envelhecimento começa mais cedo. Enquanto um cão de porte pequeno atinge o período geriátrico em torno dos 

11 anos de idade, um cão de porte gigante inicia esse mesmo período aos 7 anos.

Alguns sinais no cachorro também podem evidenciar sua idade avançada: pelos brancos, dificuldade em enxergar ou ouvir, não demonstrar tanto interesse mais em brincar ou correr e ter muito tártaro nos dentes. Você também pode identificar na tabela abaixo a idade do seu cão, para saber se ele já é idoso, comparando com a idade humana:

Saiba que a alimentação pode afetar tudo no seu amigo de quatro patas, portanto, sempre siga as recomendações do veterinário. Como os cães idosos são menos ativos, têm mais propensão para engordar. Sendo assim, recomenda-se oferecer uma ração específica para o cachorro idoso, com uma taxa maior de fibras. Por outro lado, eles também podem entrar em emagrecimento para manter sua temperatura, por isso é recomendado uma ração exclusiva para cães idosos, pois elas possuem mais energia.

Problemas de magreza excessiva também podem ocorrer devido à diminuição do olfato e à perda do paladar. Neste caso, o ideal é oferecer alimentos saborosos, estimulando o animal a comer pequenas porções durante o dia, com mais frequência.

Embora na terceira idade seu cãozinho possa dar “trabalho dobrado”, ele deve ser tratado com carinho até sua partida. Afinal, é preciso se lembrar dos bons momentos vividos ao lado dele e do amor incondicional que ele sempre dedicou a você.

 

 







San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018