Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 27/02/2018

 
GERAL
Tamanho do texto: A A A A
GERAL
27/02/2018

Compartilhar:



 Diante dos últimos casos de sarampo registrados no Brasil, no estado de Roraima, e em alguns países da Europa, por onde circulam brasileiros, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) alerta sobre a importância da vacinação para prevenir a doença.

O sarampo estava erradicado no Brasil desde 2015 e as autoridades já temiam o retorno da doença após o aumento da migração no norte do país. A doença é causada pelo Morbilivírus, potencialmente grave, transmissível e bastante comum na infância, mas pode acometer pessoas de qualquer idade.

Segundo a referência técnica em Doenças Exantemáticas, Luciene Rocha, apesar de ser uma doença com baixos índices de mortalidade, o sarampo pode ter apresentação grave e até levar a morte e a vacinação é a única forma de evitar a doença.

Imunização. De acordo com dados da Coordenação de Vigilância Epidemiológica de Doenças e Agravos Transmissíveis (CDAT), em 2017 foram notificados 63 casos suspeitos e em 2018, até o momento, foram notificados dois casos suspeitos. Todos foram descartados por exames laboratoriais, portanto até o momento não há casos confirmados da doença no estado. A meta de vacinação no Estado é de 95%, o que foi alcançado nos últimos anos. Os dados parciais de 2017 estão em 87,4%. Segundo Luciene Rocha, a vacina Tríplice Viral, que previne contra o sarampo, rubéola e caxumba, é ofertada por meio do Programa Nacional de Imunização em um esquema de duas doses. Em 2017, foram aplicadas 1.549.322 doses no estado das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, que protegem contra o sarampo, em todos grupos etários de direito da vacina e em todos os esquemas vacinais existentes. Os dados de 2018 ainda não foram disponibilizados pelo Ministério da Saúde. A vacina Tríplice Viral está disponível na rotina de vacinação em todas as unidades de saúde do Estado.

Indicação da Vacina. Toda criança de um ano de idade deve ser vacinada contra o sarampo, com duas doses, sendo a primeira dose aos 12 meses de vida com a vacina Tríplice Viral e uma segunda dose deve ser aplicada aos 15 meses de vida com a vacina tetra viral. Homens e mulheres de até 49, que não foram vacinados devem receber a dose da vacina. Profissionais dos setores do turismo e do transporte, ou seja, hotéis, aeroporto, serviços de táxi, e outros, deverão estar imunizados contra o sarampo e a rubéola. Qualquer pessoa que for viajar para regiões endêmicas, e que não estiver com o cartão de vacinas em dia, deve se vacinar pelo menos duas semanas antes da partida.

Doença. O sarampo é uma doença infecciosa viral e extremamente contagiosa. A transmissão se dá por meio de secreções das vias respiratórias, podendo ser transmitida diretamente de uma pessoa à outra por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O contágio pode acontecer, também, por dispersão de gotículas no ar, em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus. Os principais sintomas são febre alta, manchas avermelhadas em todo o corpo, congestão nasal, tosse e olhos irritados e pode causar complicações graves como cegueira, encefalite, diarreia intensa, infecções do ouvido e pneumonia, sobretudo em crianças com problemas de nutrição e pacientes imunodeprimidos.

Fonte: Agência Minas








AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018