Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 05/01/2018

 
GERAL
Tamanho do texto: A A A A
GERAL
05/01/2018

Compartilhar:



 Janeiro é sinônimo de férias para muitas pessoas. E para quem vai poder usufruir o tempo livre em outra cidade, é preciso estar atento ao cartão de vacinação antes de viajar. Há destinos, principalmente internacionais, que exigem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) logo na chegada ao país. Portanto, além de ser uma garantia de imunidade para muitas doenças, é sempre importante estar com o cartão atualizado.

Para a coordenadora de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Eva Lídia Medeiros, o cartão de vacinação tem que ser guardado como um documento, tão indispensável quanto o CPF, RG ou título de eleitor.

“Caso a pessoa não esteja de posse do cartão de vacinação, por motivo de perda ou dano, é recomendado que procure o serviço de saúde em que costuma vacinar-se ou que faça parte de seu território de abrangência. Se não houver registro das doses aplicadas, a recomendação é se vacinar novamente”, reforçou a coordenadora.

Para quem for viajar nessas férias, vale checar se estão em dia as três categorias de vacinação: as próprias do Calendário Nacional de Imunização; as que são exigências internacionais e as vacinas que são necessárias devido a diferenças epidemiológicas entre países e entre os estados brasileiros. Confira mais informações sobre a saúde do viajante no site: www.saude.mg.gov.br/viajantesaudavel.

Mudanças na Vacinação

O Ministério da Saúde, órgão responsável pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), divulgou recentemente algumas mudanças no Calendário Nacional de Vacinação para o ano de 2018. As alterações estão válidas desde de o dia 1º de janeiro e abrangem toda a população, sendo ela constituída por crianças, adultos, idosos ou povos indígenas.

Uma das principais mudanças dizem respeito à vacina da Febre Amarela. Devido à expansão da área de circulação do vírus e após a análise do cenário epidemiológico pós-surto da doença, o Ministério da Saúde identificou a necessidade de ampliar as áreas com recomendação de vacinação para os residentes ou viajantes, de nove meses a 59 anos de idade. As novas áreas com recomendação para vacinação podem ser consultadas pelo link: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/febre-amarela.

Outra mudança diz respeito à vacina da Varicela (atenuada), cuja segunda dose passa a ser disponibilizada para crianças de 4 até 6 anos de idade (6 anos, 11 meses e 29 dias).

A vacinação nesta faixa etária visa corrigir possíveis falhas vacinais da primeira dose, além de aumentar a proteção deste grupo alvo contra varicela, prevenindo ainda a ocorrência de surtos de varicela, especialmente em creches e escolas. A primeira dose da varicela é ofertada aos 15 meses, com a vacina tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) ou varicela atenuada, disponível na rotina de vacinação das crianças desde 2013.

A terceira mudança engloba a vacina Meningocócica C (conjugada), que passa a ser disponibilizada para adolescentes de 11 a 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias). É recomendado, para esse grupo, administrar um reforço ou dose única, conforme a situação vacinal encontrada. A vacinação de adolescentes, segundo o Ministério da Saúde, visa proporcionar proteção direta, impedindo o deslocamento do risco de doença tanto para esses grupos etários, quanto se estendendo a indivíduos não vacinados.

É importante frisar, ainda, que para 2018 não ocorrerão mudanças em relação ao público prioritário e aos grupos etários para a vacinação contra o HPV. A vacina continua disponível para a população do sexo feminino de nove a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias) e para a população do sexo masculino de 11 a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias), com esquema vacinal de 2 (duas) doses (0 e 6 meses).

Recomenda-se ainda que o intervalo entre as doses não seja superior a 12-15 meses, para que o esquema vacinal seja completado o mais prontamente, visando garantir uma elevada produção de anticorpos e a efetividade da vacinação.

Fonte: Agência Minas








San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018